Câmara Municipal de Mourão

Localização estrutural dos conteúdos:
Localidade:
Mourão
Conteúdos do fundo:
Não existem itens a listar.
Informação contida em outros fundos:
  • Fundo:
    Mosteiro de Santa Clara de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1458/05/19
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Carta de venda de umas casas, localizadas na cidade de Évora, na Rua de Alconchel, onde será instalado o convento de Santa Clara. Estas casas foram de João Falcão, fidalgo da casa do rei, e de Dona Branca de Sousa sua mulher.

    Em virtude da morte de João Falcão foram herdeiros das referidas casas: Dona Branca de Sousa, mulher de João Falcão; Fernão Falcão, fidalgo da casas do rei e alcaide de Mourão, filho de João Falcão, e sua mulher Dona Violante; Dona Maria; João de Sousa, cavaleiro da casas do rei; Leonor de Sousa, casada com Álvaro de Moura, fidalgo da casa do rei; Gonçalo Falcão, fidalgo da casa do rei.

    Fernão Falcão e sua mulher receberam a parte que Dona Branca de Sousa, Dona Maria e João de Sousa tinham nas referidas casas.

    Leonor de Sousa e Álvaro de Moura e Gonçalo Falcão concedem procuração a José Lázaro, judeu, mercador, morador em Moura, e a José Zaboca, judeu, mercador, para que em seus nomes possam vender a parte das referidas casas que lhe coube na herança.

    Fernando Falcão e Dona Violante e os procuradores acima referidos venderam as casas ao bispo D. Vasco.
    O Bispo afirma ter autorização régia para comprar a casa, por cento e cinco mil reais brancos, para aí se instalar o convento de Santa Clara.

  • Fundo:
    Mosteiro de Santa Clara de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1467/08/19
    Tipologia documental:
    Doação
    Nível:
    Documento simples

    Gonçalo Falcão, enquanto tutor e curador de Dona Isabel de Sousa, sua sobrinha, entregou-a ao convento de Santa Clara de Évora, para nele ser freira professa. Para seu sustento faz doação, ao referido convento, de dois moinhos, localizados no termo de Portel, na ribeira de Degebe.
    Após a morte de Dona Isabel, os moinhos devem ficar para o convento com a condição de as freiras mandarem celebrar três missas, em dia de Todos os Santos, pela alma de Fernão Falcão.