Ordem de Cristo

Localização estrutural dos conteúdos:
Entidade detentora:
Biblioteca Pública de Évora
Dimensão e suporte:

1 unidade de instalação

História administrativa / biográfica / familiar:

Ordem fundada pela bula Ad ea ex quibus de João XXII (14 de Março de 1319), em resultado de uma longa negociação sobre o destino dos bens dos Templários em Portugal. Conseguindo-se, em 1312, que os bens detidos pelo Templo na Península não fossem entregues aos hospitalários, o rei Dinis apresentaria à Santa Sé, em 1318, a proposta de criação de uma nova milícia, sedeada em Castro Marim, escolhendo para mestre da Ordem a Gil Martins do Outeiro. Traduzida a bula de fundação, a Ordem de Cristo seria canonicamente instituída em Santarém a 18 de Novembro de 1319, na presença do rei e de vários membros da Corte. Seguindo a Regra de S. Bento, na versão transmitida por Cister à Ordem de Calatrava, os freires de Cristo encontravam-se sujeitos à visita e correição do abade de Alcobaça. A sede conventual da Ordem acabaria por se fixar em Tomar, onde já se reuniu o capítulo geral celebrado em 1357. O percurso posterior da milícia revelaria a sua estreita subordinação aos interesses e ao serviço do monarca, quer na escolha dos respectivos mestres, quer na entrega do seu governo, a partir do século XV, a membros da família real, quer nas tentativas de associação da Ordem aos projectos expansionistas da Coroa. Já com o rei João III, seriam promovidas obras de vulto em Tomar e iniciada a reforma da comunidade conventual (1529-1532), sob a direcção do antigo provincial dos Jerónimos, Frei António de Lisboa.

Instrumentos de descrição:

Fontes, João Luís Inglês; Serra, Joaquim Bastos; Andrade, Maria Filomena, Inventário dos Fundos Monástico-Conventuais da Biblioteca Pública de Évora , Lisboa, Edições Colibri, 2010

Conteúdos do fundo:
Informação contida em outros fundos:
  • Fundo:
    Convento de São Francisco de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1379/07/19
    Tipologia documental:
    Sentença
    Nível:
    Documento simples

    Sentença de Vasco Gonçalves, vassalo do rei e seu juiz na cidade de Évora, relativa a demanda existente entre Afonso Anes Maceira, como administrador dos bens da capela de Rodrigo Airas de Veiros, e Vasco Anes, comendador da comenda de Mendo Marques, morador em Évora. Rodrigo Airas tinha deixado muitos bens no termo de Évora e na cidade e em outros lugares, entre eles uns pardieiros em Évora na rua que vai da sapataria (?) para São Pedro que deviam pertencer aos provedores das capelas (função que o Afonso Anes Maceira desempenhava) mas o comendador tinha tomado posse dos pardieiros. O juiz manda que os deixe.

  • Fundo:
    Convento de São Francisco de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1379/06/17
    Tipologia documental:
    Sentença
    Nível:
    Documento simples

    Sentença dirimida por Vasco Gil, vassalo do rei e seu juiz em Évora, relativa a um processo entre Afonso Eanes Maceira, procurador na cidade e provedor e administrador dos bens que foram de Rodrigo Aires de Veiros e Vasco Eanes, comendador de Mendo Marques, morador na cidade, estando em questão a posse de uns pardieiros, localizados na cidade, na rua que vai da sapataria para São Pedro.

  • Fundo:
    Mosteiro de São Bento de Cástris de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1541/03/08
    Tipologia documental:
    Padrão
    Nível:
    Documento simples

    Carta de padrão de D. João III, como governador e perpétuo administrador da ordem de cavalaria do mestrado de Nosso Senhor Jesus Cristo, concedida a Rui Vaz Caminha, filho de Vasco Fernandes Caminha, fidalgo da casa do duque de Bragança, pelos serviços que tem prestado ao duque e pelos que se espera que fará à ordem e ao rei. São-lhe concedidos quinze mil e quinhentos reais de tença por ano, desde Janeiro de 1541, e o hábito da ordem. Quer a tença, quer o hábito já seu pai tinha por padrão.

  • Fundo:
    Igreja de Santiago de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1395/07/08
    Tipologia documental:
    Encampação e Emprazamento
    Nível:
    Documento simples

    Encampação que recebem Bartolomeu Domingues, raçoeiro da igreja de Santiago de Évora e procurador de Lopo Dias, prior, e outros raçoeiros, de João Domingues Terrão, hortelão, de uma horta com seus ferragiais que trazia emprazada em dias de sua vida porque estava velho, cansado e pobre e a não podia aproveitar. Emprazam a horta e ferragiais a Lourenço Anes, morador em Évora, à porta do Rossio da cidade, por trinta libras de moeda antiga e quatro galinhas boas pagas às terças do ano: a primeira no dia de São João Baptista, a segunda no dia de Natal e a terceira no dia de Páscoa.

  • Fundo:
    Igreja de Santiago de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1285/11/18
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda de um campo, localizado no termo de Évora, realizada por Fernando Martins e sua mulher, Alda Martins, vizinhos de Évora, a Domingos Pais, clérigos raçoeiro da igreja de Santiago da referida cidade, por nove libras.

  • Fundo:
    Igreja de Santiago de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1404/08/21
    Tipologia documental:
    Arrendamento
    Nível:
    Documento simples

    Arrendamento, por doze anos, de um ferragial e uma horta, da igreja de Santiago de Évora, localizados no Rossio da cidade, a Nuno Martins, morador em Évora, por um terço da produção.

Descrição documental:

Liliana Silva