Duques de Guimarães

Localização estrutural dos conteúdos:
Conteúdos do fundo:
Não existem itens a listar.
Informação contida em outros fundos:
  • Fundo:
    Mosteiro de São Bento de Cástris de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1466/12/16
    Tipologia documental:
    Acordo
    Nível:
    Documento simples

    Acordo que põe termo a um litígio entre Estêvão Fernandes, escudeiro, criado de João de Melo e seu ouvidor na vila de Pavia, e Pedro Lourenço, escudeiro do duque de Guimarães, e Lourenço Gil, seu pai, moradores na vila de Pavia, respeitante a um contencioso em torno da posse de uma terra, que se localizava numa herdade, no termo de Pavia, que foi dada a Estêvão Fernandes de sesmaria.
    Desta forma, Estêvão Fernandes deu a Lourenço Gil e a seu filho mil e quatrocentos reais brancos, pelo direito que eles tinham na terra.

  • Fundo:
    Mosteiro de Santo Antão de Vale de Infante de Estremoz
    Datas de produção/acumulação:
    1519/10/07
    Tipologia documental:
    Carta Régia
    Nível:
    Documento simples

    Traslado em pública forma de carta régia de D. Manuel que confirma outra carta de D. João II, de privilégios concedidos aos pobres da província de Água dos Infantes. O traslado é solicitado a Domingos Anes (?) Godinho, escudeiro, juiz ordinário pelo duque de Bragança e de Guimarães, por Brás, pobre da província de Água dos Infantes.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1507/11/08
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que faz Inês Gomes Olhal (?), viúva de Fernando Álvares Guisado, moradora em Vila Viçosa, a Teresa Anes, viúva de Martim Correia, que fora escudeiro do duque de Bragança, moradora em Vila Viçosa, de metade de uma herdade em Mures, mística com os irmãos de Fernando Álvares e com um quarto que é da vendedora, por nove mil reais. A venda é feita perante João Fuseiro, escudeiro da casa do duque de Bragança e Guimarães e juiz dos orfãos na vila. A metade da herdade já fora arrematada antes por mestre Álvaro, almoxarife do duque, por quatro mil e quinhentos reais após ter andado em pregão na praça na sequência de uma dívida de Estevão Mendes, siseiro do ano de 1503, de quem Fernando Álvares fora fiador. Porém, como se considerava mal vendida por tão baixa quantia mestre Álvaro abriu dela mão para poder ser vendida a quem dava quantia superior, sendo restituído dos quatro mil e quinhentos reais.
    No processo são referidos Fernão Cavaleiro, escrivão das sisas pelo rei; Aires de Oliveira, almoxarife do almoxarifado de Estremoz; Tomé Fernandes, porteiro do concelho; Luís Leite, ouvidor da correição do duque; e um capelão do duque.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1577/05/08
    Tipologia documental:
    Padrão
    Nível:
    Documento simples

    Padrão de D. Sebastião de concessão três mil reais da fazenda régia a D. Violante Lobo, sobrinha de D. Catarina Lobo, em cada ano, em dias de sua vida, que começam a vencer no dia um do mês de Janeiro de 1577. A infante D. Isabel, tia de D. Sebastião, tinha da fazenda régia em cada ano, em dias de sua vida, oitocentos mil reais para ajuda e supressão das despesas de sua casa, por um padrão feito em Lisboa a 15 de Janeiro de 1576, e por solicitação da rainha D. Catarina de Áustria passou a poder dispor dessa quantia. Após a morte de D. Isabel, D. João, duque de Bragança, e a sua mulher, D. Catarina, testamenteiros da infante, enviaram a D. Sebastião um rol das pessoas a quem a defunta deixou repartidos os oitocentos mil reis em testamento. Aí se declarava que deixara a D. Violante Lobo os três mil reais referidos. D. Violante Lobo foi freira no convento das Chagas de Vila Viçosa.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1576/05/08
    Tipologia documental:
    Alvará
    Nível:
    Documento simples

    Alvará D. Sebastião, emitido por solicitação da rainha D. Catarina de Áustria, em que faz mercê à infante D. Isabel, sua tia, de poder por sua morte dispor dos oitocentos mil reais que tinha em cada ano da fazenda régia, para descargo da sua consciência e satisfação das suas obrigações e serviços de seus criados, repartindo pelas pessoas que tiver obrigação para que os tenham em vida somente. Após o falecimento da infante serão passados padrões, a partir deste alvará, às pessoas por quem ela repartir os oitocentos mil reais.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1503/08/14
    Tipologia documental:
    Instrumento de Partilhas
    Nível:
    Documento simples

    Partilhas em que se encontram de um lado Rui Velho, escudeiro e juiz dos orfãos em Vila Viçosa, como representante dos interesses dos orfãos (Álvaro, Rodrigo, Nuno e Margarida) filhos de João Álvares Guisado, e Nuno Álvares Guisado, escudeiro do senhor almirante, e tutor dos mesmos orfãos seus sobrinhos; e do outro lado Martim Lopes, padrasto dos orfãos e sua mulher Margarida Anes, mãe dos mesmos, moradores em Vila Viçosa. Ambas as partes já tinham partido entre si todos os bens móveis e de raiz que ficaram por morte de João Álvares Guisado e passavam agora a escrito o que estava acordado entre si.

  • Fundo:
    Convento de São Francisco de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1530/05/06
    Tipologia documental:
    Instrumento de Posse
    Nível:
    Documento simples

    Álvaro Pires, morador em Évora, toma posse, em nome dos filhos orfãos de D. João de Castro (D. Isabel, D. Fernando e D. António) de um quinhão de uma herdade, situada no termo de Arraiolos.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1517/08/31
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que faz Nuno Álvares Guisado, solteiro, já emancipado por carta do duque de Bragança, de vinte cinco anos, morador em Vila Viçosa, a Nuno Álvares, escudeiro da casa do almirante, e a sua mulher, Leonor Franco, também moradores em Vila Viçosa, de um quinhão de terra de pão, no termo da vila, numa herdade dos compradores e de Bento Correia e de Diogo Lopes, que fica na ribeira de Mures, por mil e quinhentos reais dos correntes de seis ceitis o real.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1476/08/13
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    João Vasques e Leonor Vasques, moradores em Vila Viçosa, vendem a Martim Correia, escudeiro do duque de Guimarães, e a sua mulher, Teresa Eanes Calça, um pardieiro, localizado dentro da cerca da vila.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1503/05/26
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que fazem Bartolomeu Fernandes e sua mulher, Isabel Eanes Franco, moradores em Vila Viçosa, a Teresa Anes, viúva de Martim Correia, escudeiro, morador em Vila Viçosa, de um ferragial à cerca do Rossio da vila, por mil e quinhentos reais correntes de seis ceitis o real.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1516/11/26
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que faz Fernão de Morais, cavaleiro da casa do duque de Bragança, solteiro, morador me Vila Viçosa, a Diogo Manuel, mercador, e a sua mulher, Leonor Vaz, também moradores na vila, de umas casas no terreiro da porta de Évora, da parte de fora, por cinco mil reais dos correntes de seis ceitis o real.

  • Fundo:
    Convento de São Francisco de Évora
    Datas de produção/acumulação:
    1471/05/08
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Rui Frazão e Fernão Abreu, solteiro e escudeiro, vendem a Luís Lopes, escudeiro do duque de Guimarães e sua mulher, Constança Colaça, um quinhão de herdade, localizada, no termo de Estremoz, por vinte e dois mil reais.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1500/05/26
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que faz Teresa Anes, viúva de Martim Correia, escudeiro, morador em Vila Viçosa, a Bartolomeu Fernandes e a sua mulher, Isabel Franco, também moradores em Vila Viçosa, de metade de uma herdade no termo da vila, na Aceca, mística com outra metade de Leonor Franco, sua sobrinha, solteira, por mil e quatrocentos reais dos correntes de seis ceitis o real. A herdade ficara por morte de João Godinho, o moço.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1502/06/20
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que fazem Nuno da Fonseca, escudeiro do rei, e sua mulher, Mor Vaz, moradores em Vila Viçosa, a Bartolomeu Fernandes e a sua mulher, Isabel Anes Franco, também moradores na vila, de umas casas dentro do castelo, na rua do Poço que está onde foi a judiaria, por quatro mil e quatrocentos reais dos correntes de seis ceitis o real.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1502/10/30
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que fazem Tomé Nunes, viúvo, escudeiro e morador em Vila Viçosa, a Nuno Álvares, escudeiro do almirante, e a sua mulher, Leonor Franco, de um ferragial à cerca da vila, por trezentos reais dos correntes de seis ceitis o real.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1512/11/26
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que fazem Lopo da Mouta e sua mulher, Isabel Pires, moradores em Vila Viçosa, a Bento Correia, solteiro, um quinhão de terra de pão no termo da vila, onde chamam Bencatel, no Barro Branco, por cinco mil reais dos correntes de seis ceitis o real.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1510/10/14
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que faz Rodrigo Álvares Guisado, lavrador, viúvo, morador em Vila Viçosa, a Nuno Álvares Guisado seu irmão e escudeiro do almirante, e a sua mulher, Leonor Franco, também moradores na vila, de uma das metades da herdade que fora de seus pais que se chama dos Guisados e fica no termo da vila onde chamam o Mures, por cinco mil reais dos correntes de seis ceitis o real.
    Na realidade a venda já ocorrera há algum tempo, ainda antes da morte da mulher do vendedor, Inês Gomes, mas como nessa altura não fizeram carta de venda por este documento a situação é regularizada.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1515/08/30
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que fazem Vicente Gil, filho de Fernão Vicente, e sua mulher, Margarida Anes, moradores em Vila Viçosa, a Nuno Álvares Guisado, escudeiro do almirante, e a sua mulher, Leonor Franco, também moradores na vila, de todo o direito e quinhão que têm na herdade dos Guisados, na ribeira de Mures, termo da vila, por mil reais dos correntes de seis ceitis o real.

  • Fundo:
    Mosteiro das Chagas de Vila Viçosa
    Datas de produção/acumulação:
    1513/01/26
    Tipologia documental:
    Compra/venda
    Nível:
    Documento simples

    Venda que faz Inês Gomes Olhalva (?), viúva de Fernando Álvares Guisado, moradora em Vila Viçosa, a Teresa Anes, viúva de Martim Correia, escudeiro da casa do duque de Bragança, também moradora em Vila Viçosa, de um quarto de uma herdade que pertence à sua metade, mística com os irmão de seu marido, que fica no termo de Vila Viçosa em Mures, por dez mil reais dos correntes de seis ceitis o real.